31 March 2010

Momentos... Tony Allen

Tony Allen na Casa da Música

Ao vivo... Jonas Brothers

Data - 21 de Novembro de 2009
Local - Wembley Arena
Notas - Segundo concerto do ano, desta banda de grande importância no mundo musical vocacionada para um público mais jovem. Depois da desilusão de Madrid, este foi um bom concerto, dentro do seu próprio estilo.

30 March 2010

D'Outrora... Recorte de Imprensa

Street Kids, grupo que teve um percurso fugaz no Rock Português no início dos anos 80. Com origem nos "Plástico" o grupo era formado por Nuno Rebelo (mais tarde autor do hino da Expo-98), Luis Ventura, Eduardo Pimentel, Nuno Canavarro e "Flash Gordon".
Gravaram dois singles de originais (Let Me Do It, Super Wen), um LP (Trauma) e um Maxi-Single (So Far, So Long). Terminaram em 1983.

29 March 2010

Ao vivo... Kaiser Chefs

Data - 01 de Fevereiro de 2009
Local - Coliseu dos Recreios de Lisboa
Notas - Um concerto que não deslumbrou, mas tamém não decepcionou. Com um alinhamento a percorrer toda a obra do grupo, os Kaiser Chiefs, formados no ano de 2003 em Leeds, proporcionaram uma noite de bom rock tipicamente britânico. O momento alto do concerto foi com o tema "I Predict a Riot", do álbum "Employment".

Scorpions - Sting In The Tail

Scorpions: mais de 40 anos depois, esta mítica banda formada em Hanover na Alemanha anuncia o seu final. Incicialmente o grupo era formado por Rudolf Schenker (voz e guitarra), Karl-Heinz Follmer (guitarra), Lothar Heimberg (baixo) e Wolfgang Dziony (bateria). Em 1971 entram para a banda o guitarrista Michael Schenker (irmão de Rudolf) e o vocalista Klaus Mein, que ainda hoje se mantém no grupo, o que não acontece com Michael que em 1973 decide abandonar os Scorpions.
Sting in The Tail, editado recentemente é o último disco da carreira do grupo, uma carreira com alguns bons momentos, com alguns discos de bom nível, como por exemplo In Trance (1975), Love Drive (1979) ou Blackout (1982), entre muitos outros sendo que, os Scorpions proporcinaram-nos algumas das mais belas baladas da música rock. Quem não conhece e gosta de ouvir Still Loving You, Always Somewhere ou Lady Starlight, entre muitas outras de um brilhantismo impressionante e de uma beleza indescritível?
Neste último disco, a "receita" mantém-se: um bom leque de canções rock que, sem serem brilhantes, mantêm o nivel de qualidade a que o grupo nos habituou.
Talvez por sabermos que estamos perante o último disco de originais de um grupo que de algum modo marcou a história da música e de várias gerações, e que vai terminar dentro de algum tempo (após uma última tournée), talvez por isso, este disco soe a despedida dando ao próprio álbum um tom conceptual, que ele não tem; talvez o nosso subconsciente nos leve a pensar que vamos perder algo que nos deu momentos de felicidade durante muitos anos.
Em resumo, é um bom disco com duas excelente baladas, Lorelei e Sly (seguramente um clássico), e bons temas de rock, com bons reefs e solos de guitarra, que só não são brilhantes porque são curtos, mas como se sabe nos concertos são normalmente "alongados" e aí sim, vamos ter bons momentos na última tournée que o grupo está a preparar e que quase de certeza deve passar por Portugal, pois o grupo sempre demonstrou grande apreço pelo país onde fez questão de gravar um trabalho ao vivo, no convento do Beato em Lisboa: "Acoustica" em 2001.
Quanto a "Sting In The Tail", termina de forma algo enigmática, com uma das melhores canções de sempre do grupo, "The Best Is Yet To Come"; será a tournée?

01 - Raised On Rock
02 - Sting In The Tail
03 - Slave Me
04 - The Good Die Young (feat. Tarja Turunen)
05 - No Limit
06 - Rock Zone
07 - Lorelei
08 - Turn You On
09 - Sly
10 - Spirit Of Rock
11 - The Best Is Yet To Come

Nota - 8/10

P.S. - Como dizem em "Spirit Of Rock", "Rock Will Never Die"

26 March 2010

Peter Gabriel - Scratch My Back

Considero Peter Gabriel (13 de Fevereiro de 1950) um dos músicos mais criativos e geniais da história da música. Deixou os Genesis em 1976 e desde então tem-se dedicado a uma carreira a solo com alguns discos de grande qualidade.
Desde “Peter Gabriel I” em 1977 até este “Scratch My Back” de 2010, Gabriel possibilitou-nos alguns bons momentos musicais com grandes clássicos, como por exemplo Solsbury Hill (Peter Gabriel I em 1977), Games Without Frontiers e Biko (Peter Gabriel III em 1980) e Sledgehammer (So em 1986), entre muitos outros.
Para além da sua excelente carreira a solo, desenvolveu ao longo dos anos uma autêntica cruzada na divulgação da chamada World Music, ao criar a editora Real World cujo objectivo é a divulgação da imensa música deste imenso mundo, levando-nos a descobrir grandes compositores e belíssimas canções em países dos quais pouco ouvimos falar ou pouco sabemos da sua música e da sua cultura.
Após a edição do álbum “Up” em 2002, Peter Gabriel fez vários espectáculos pela Europa, tendo passado por Portugal para concertos no Rock In Rio e no Festival Vilar de Mouros em 2004.
Oito anos passaram desde a edição do seu último disco e regressa neste ano de 2010, com “Scratch My Back” e, para grande surpresa, traz-nos um disco exclusivamente de versões, num tributo que presta a diversos músicos, um disco calmo de excelentes canções, num verdadeiro exercício vocal de grande brilhantismo, como só ele sabe fazer.
Não estamos perante um disco com temas fortes que possam dar bons singles; estamos perante um disco de alguém detentor de uma voz e de uma capacidade musical que não para de nos surpreender.
Será que “Scratch My Back” vai tornar-se num disco de culto na carreira de Peter Gabriel?
O tempo o dirá.

01 – Heroes (David Bowie)
02 – The Boy In The Bubble (Paul Simon)
03 – Mirrorball (Elbow)
04 – Flume (Bon Iver)
05 – Listening Wind (Talking Heads)
06 – The Power Of The Heart (Lou Reed)
07 – My Body Is a Cage (Arcade Fire)
08 – The Book Of Love (Magnetic Fields)
09 – I Think It’s Going To Rain Today (Randy Newman)
10 – Après Moi (Regina Spektor)
11 - Philadelphia (Neil Young)
12 – Street Spirit – Fade Out (Radiohead)

Nota – 8/10

Recortes

Folheto entregue à entrada do concerto dos Tindersticks no Teatro Municipal da Guarda.

25 March 2010

D'Outrora... Recorte de Imprensa

Manuel Cardoso. músico dos Tantra, numa foto na "versão" Frodo, na altura da edição do seu álbum a solo "Noites de Lisboa". Um excelente compositor, mas que sempre foi muito incompreendido. Ainda hoje continua a lançar bons discos em nome dos Tantra, na linha do rock progressivo a que nos habituou.

24 March 2010

Momentos... Tony Allen

Fotografia tirada com telemóvel durante o concerto de Tony Allen, na Casa da Música no Porto.

Ao vivo... Brendan Perry

Data - 14 de Março de 2010
Local - Santiago Alquimista
Notas - Concerto já comentado neste blog.

23 March 2010

D'Outrora... Recorte de Imprensa

Capa do livro "A Arte Eléctrica de Ser Português", de António A. Duarte.
Editado pela Livraria Bertrand em 1984, é hoje em dia um livro extremamente raro e uma verdadeira enciclopédia da história do Rock em Portugal que merecia uma reedição mas, pelo que consta, isso não é possível.
Vou publicar neste blog algumas fotos extraídas desse livro, que serão imediatamente retiradas, se a isso for obrigado por questões de direitos de autor.

Besnard Lakes - ... Are The Dark Horse

O guitarrista e vocalista Jace Lasek e a baixista Goreas Olga, decidem formar no ano de 2001 em Montreal, Canadá, os The Besnard Lakes.
Devido às suas origens e ao facto de os seus fundadores serem casados, no início foram comparados aos Arcade Fire mas, apesar de tal comparação não poder ser depreciativa, o casal procurou, e conseguiu, demarcar-se desse rótulo.
Mais tarde entraram para o grupo os guitarristas Steve Raegele e Jeremias Bullied, e o baterista Kevin Laind e é então que editam o primeiro trabalho do grupo "Vol. 1, disco reconhecido pela critica, mas que passa despercebido em termos comerciais.
Após a gravação deste primeiro disco, o guitarrista Jeremias Bullied é substituído por Richard White e entra para o grupo o teclista e produtor Nicole Lizee e é então que surge este "The Besnard Lakes Are The Dark Horse", onde apresentam uma música complexa e por vezes conceptual, com momentos de psicadelismo e também com grandes devaneios ao nível de guitarras que, pessoalmente, me fez lembrar Sonic Youth.

01 - Disaster
02 - For Agent 13
03 - An You Lied To Me
04 - Devastation
05 - Becaute Tonight
06 - Rides The Rails
07 - On Bedford and Grand
08 - Cedric's War

Nota - 8/10

22 March 2010

Momentos... Joaquin Sabina

Foto do concerto de Joaquin Sabina em Córdoba

Ao vivo... Delfins

Data - 10 de Outubro de 2009
Local - Coliseu dos Recreio de Lisboa
Notas - Sala cheia para o concerto de despedida da banda liderada por Miguel Ângelo. Foi um dos últimos concertos de uma banda que chegou a ter grande relevo na música portuguesa, mas que nos últimos anos entrou numa espécie de agonia, numa morte lenta, que fez esquecer alguns bons momentos musicais que tiveram.

19 March 2010

Ao vivo... Joaquin Sabina

Data - Dia 11 de Dezembro de 2009
Local - Córdoba
Notas - Joaquin Sabina, natural de Madrid, é um daqueles músicos que nunca esperei ter oportunidade de ver ao vivo, pois em Portugal é praticamente desconhecido e, como tal, a única hipótese que tinha de poder assistir a um concerto seu era ir a Espanha.
Finalmente, em 2009 isso foi possível e fui a Córdoba assistir a um grande concerto de Sabina, músico cantautor espanhol do qual sou grande admirador e que em palco faz-se acompanhar por um bom leque de músicos que proporcionam momentos de grande qualidade musical, em termos de execução.
Sem dúvida alguma, um dos melhores concertos de 2009.

18 March 2010

Recortes

Verso do impresso entregue à entrada do concerto de Tony Allen, na Casa da Música no Porto. Numa simples página é descrita de forma sucinta a biografia de um dos músicos mais importante de África e daquele que, na minha opinião, é um dos melhores bateristas do mundo.

17 March 2010

Ao vivo... Jonas Brothers

Data - 13 de Junho de 2009
Local - Palacio de Deportes de La Comunida (Madrid)
Notas - Concerto destinado a um público jovem maioritariamente feminino, onde os pais estavam para acompanhar as filhas. A actuação dos Jonas Brothers terminou de forma abrupta, devido a problemas eléctricos. Primeira parte com Demi Lovato.

16 March 2010

Recortes

Frente de um impresso entregue à entrada, no concerto de Tony Allen na Casa da Música no Porto.

15 March 2010

Ali Farka Touré and Toumani Diabaté

Apesar de ainda estarmos somente no terceiro mês de 2010, arrisco em afirmar que este disco gravado por Ali Farka Touré e Toumani Diabaté, vai ser seguramente, um dos melhores discos do ano. Gravado pouco antes da morte de Ali, que aconteceu no dia 07 de Março de 2006, e na sequência da excelente parceria em "In The Heart Of The Moon", este disco apresenta uma vertente mais acústica de Ali Farka Touré, aliada à magia da Kora tocada por Toumani Diabaté, o grande mestre desse instrumento.
Um conjunto de deliciosas melodias recheadas de uma magia que nos encanta e enfeitiça, num daqueles discos que para além de se gostar à primeira audição, continuamos a gostar e a adorar cada vez mais, à medida que o vamos ouvindo.

Obrigatório.

01 - Ruby
02 - Saby Yoerkoy
03 - Be Mankan
04 - Doudou
05 - Warbé
06 - Samba Geladio
07 - Sina Mory
08 - 56
09 - Fantasy
10 - Machengoidi
11 - Kala Djula

Nota - 9/10

P.S. - Com o tempo vai chegar à nota 10/10.

Ao vivo... Brendan Perry

Brendan Perry e Lisa Gerrard, fundaram em 1981 na Austrália um dos grupos mais importantes na história da música contemporânea, os Dead Can Dance. Com um estilo muito próprio e de difícil definição, a música do grupo percorria um imenso universo musical, numa excelente fusão com a chamada World Music. Ao longo dos oito álbuns editados pelo grupo somos levados em autênticas viagens pelo mundo, pois a música dos Dead Can Dance tinha esse dom, essa qualidade.
Após o final (?) do grupo, Brendan Perry inicia-se numa carreira a solo e edita em 1999 o excelente “Eye Of The Hunter”. Segue-se um intervalo de mais de 10 anos e em 2010, regressa aos discos através de “Ark”, a ser editado brevemente.
Foi no âmbito da promoção deste seu novo trabalho que Brendan Perry actuou no passado dia 14 de Março de 2010, no Santiago Alquimista em Lisboa, perante uma sala que, ao contrário do previsível, não encheu mas estava bem composta de um público devoto, mais aos Dead Can Dance do que a Brendan Perry.
Foi um bom concerto com cerca de hora e meia de duração, durante o qual pudemos ouvir temas antigos da sua carreira a solo, bem como temas do seu novo disco e até uma cover de Tim Buckley.
A lamentar, apenas o som que no início não esteve bom sendo depois corrigido e também o desconhecimento por parte do público de uma grande parte das belas canções que Brendan Perry tocou e cantou com a sua soberba e poderosa voz.
Resta-nos esperar pelo disco.

12 March 2010

Ao vivo... Bruce Springsteen

Data - 01 de Agosto de 2009
Local - Estádio José Zorrilla - Valladolid
Notas - Infelizmente, Bruce Springsteen continua a não incluir Portugal nas suas digressões. A "Working On A Dream Tour" andou por várias cidades da nossa vizinha Espanha e a única forma que arranjei de poder ver pela terceira vez um dos meus artistas preferidos, foi deslocar-me a Valladolid. Estádio completamente cheio para um fabuloso concerto que durou perto de três horas, com um Bruce Springsteen visivelmente bem disposto e comunicativo.

10 March 2010

Ao vivo... Eagles

Data - 22 de Julho de 2009
Local - Pavilhão Atlântico de Lisboa
Notas - A carismática banda formada no ano de 1971 em Los Angeles proporcionou ao imenso público que praticamente esgotou o pavilhão atlântico, um espectáculo de grande nível e profissionalismo. Sem grandes "avarias" nem improvisações, o grupo jogou pelo seguro e isso fez com que ninguém saísse do concerto insatisfeito. Uma excelente noite de música que nos levou de regresso aos anos 70 e 80, anos em que a música dos Eagles marcou uma geração.
Quem não conhece "Hotel California"?

09 March 2010

Ao vivo... Festival Se7e ao vivo

Rui Veloso, no tempo do Chico Fininho, durante a actuação no "Festival Se7e ao vivo", realizado na Praça de Touros do Campo Pequeno em Julho de 1981.
Para quem não sabe ou não se lembra, acrescento que o "Se7e" foi um jornal que existiu no panorama Português no final dos anos 70 e início dos anos 80. Dedicava-se à divulgação de espectáculos e eventos culturais, com principal destaque para a música, cinema e teatro.
Terminou passado algum tempo, quando já circulava no formato de revista.

01 March 2010

Momentos... Speeds

Mais uma foto tirada aos portugueses Speeds, grupo de grande sucesso no início dos anos 80.