26 June 2006

Ao vivo... Bon Jovi + Van Halen + Ugly Kid Joe

Data - 15 de Junho de 1995
Local - Estádio de Alvalade
Observações - Mega-concerto com cartaz de luxo que contou com os UHF na primeira parte, sendo seguidos dos Ugly Kid Joe, Van Halen e finalmente Bon Jovi.

19 June 2006

Ao vivo... U2

Data - 11 de Setembro de 1997
Local - Estádio de Alvalade
Notas - Fabuloso concerto desta super-banda, uma das poucas que nos dias de hoje ainda consegue encher estádios. Neste concerto, Alvalade esteve completamente cheia e não houve a fantochada da venda dos bilhetes como na última vez que passaram por Portugal em que podemos assistir a cenas caricatas de pessoas nas filas do multibanco à espera que fossem 14 horas para comprarem os bilhetes que, afinal, nunca foram colocados à venda..

12 June 2006

Ao vivo.... Yes

Data - 24 de Fevereiro de 2000
Local - Pavilhão Atlântico
Notas - Concerto de saudosismo. Um pavilhão Atlântico completamente cheio de um público sequioso de viajar no tempo, de ouvir as músicas dos Yes , de ouvir a voz muito peculiar de Jon Anderson. Valeu a pena.

11 June 2006

Primal Scream... Riot City Blues

Os Primal Scream são um daqueles fenómenos do mundo da música de difícil compreensão.
Inicialmente apontados como grande promessa e revelação, esta banda formada em Glasgow na Escócia em 1984, acabou por ser um relativo fracasso.
Ao longo de toda a sua carreira, que já conta com dez álbuns, nunca conseguiram atingir um patamar elevado, por uma ou outra razão.
Muitas vezes criticados por quase plagiarem outros grupos, como os Byrds ou Rolling Stones, o gupo tem continuado com uma carreira de certo modo errante, com discos por vezes deconexos, atípicos e inconsequentes.
O grupo liderado por Bobby Gillespie editou esta semana mais um trabalho, o décimo, no qual são excessivamente notórias as influências (que eles nunca negaram) dos Rolling Stones. Com um tema muito forte a ser lançado como single "County Girl", a sensação que nos fica do disco é que mais uma vez o grupo podia ter ido mais longe. Podia ter arriscado mais.
É pena, pois os Primal Scream são excelentes executantes. É no entanto um bom disco com temas interessantes.

1. Country Girl
2. Nitty Gritty
3. Suicide Sally & Johnny Guitar
4. When The Bomb Drops
5. Little Death
6. 99th Floor
7. We're Gonna Boogie
8. Dolls (Come On Baby Let's Have A Good Time)
9. Hell's Comin' Down
10. Sometimes I Feel So Lonely

Classificação - 7/10

08 June 2006

Ao vivo... Super Bock Super Rock


Decorreu ontem no Parque Tejo o "Dia 1 do Act 2" do Festival Super Bock Super Rock. Com um cartaz de luxo há a registar a pouca presença de público o que faz colocar a questão se terá sido boa ideia deixar duas semanas de espaço entre o Act 1 e o Act 2, com o Rock In Rio pelo meio. Apesar do cartaz do SBSR ser superior ao do Rock In Rio, é inegável a diferença entre ambos os festivais em termos mediáticos.

Coube ao Editors iniciar a noite no palco principal. Com um ligeiro atraso que acabou por ser benéfico devido ao tempo que se demorava para entrar no recinto, o grupo tocou cerca de uma hora na qual foi possível ouvir na íntegra o seu primeiro álbum "The Back Room" e ainda uma cover dos Talking Heads "Road To Nowhere". Com um som muito bom, os Editores souberam estar em palco e agarrar o pouco público presente. Coincidência ou não, lembrei-me da primeira vez que vi os Coldplay em Paredes de Coura no ano de 2000, concerto ao qual assistiu muito pouca gente pois na altura não eram conhecidos. Na minha modesta opinião julgo estarmos perante mais um caso semelhante aos Coldplay: os Editors podem vir a ser um dos grupos mais importantes do panorama musical. Pontuação 4,5 de 0 a 5.

Seguiram-se os dEUS; apesar de achar que a música deste grupo funciona melhor em espaços pequenos e fechados (concerto inesquecível na Aula Magna), gostei da actuação. A banda de Tom Barman fez uma viagem por todos os seus trabalhos, insistindo principalmente no "In A Bar, Under The Sea" e no seu mais recente trabalho "Pocket Revolution". Um concerto electrizante que merecia mais público junto ao palco, se bem que o recinto já estivesse mais "composto" mas o público aproveitou a actuação dos dEUS para se dirigir aos bares. Pontuação 4 de 0 a 5.

Já passava das 21 horas quando os Cult entraram em palco para arrasar por completo. Grande concerto do grupo de Ian Astbury. Já com a frente do palco completamente cheia e com uns decibéis bem acima dos grupos anteriores, os Cult deliciaram todos os presentes com temas novos e uma viagem ao passado onde não faltaram por exemplo "Revolution", "Sweet Soul Sister". Foi um concerto que serviu para aguçar o apetite para o dia 12 de Julho em que vão estar no Coliseu do Porto. Só não atríbuo a pontuação máxima pelas excessivas alusões do Ian Astbury ao futebol e ao campeonato do mundo. Pontuação 4,5 de 0 a 5.

Tarefa difícil para os Keane que foram a banda que se seguiu. Deslocados do alinhamento e do ambiente do dia o grupo esteve bem, com uma actuação segura em que por vezes parecia estar simplesmente a cumprir contrato. Foi um bom espectáculo, apesar do grupo deixar transparecer a ideia de se estar a sentir como "peixe fora de água". No entanto foi possível ouvir alguns temas do novo álbum "Under The Iron Sea" a sair brevemente, bem como os mais conhecidos de "Hopes and Fears". Pontuação 3,5 de 0 a 5.

Para fechar a noite, perto da uma da manhã, os Franz Ferdinand, fizeram o que se esperava deles. GRANDE concerto. Durante hora e meia o grupo de Alex Kapranos "incendiou" completamente o Parque Tejo. Fazendo questão de manter a tradição de tocar um tema novo sempre que actuam em Portugal, os Franz Ferdinand tocaram praticamente todos os temas dos seus primeiros álbuns. Com um ritmo diabólico e com a sua característica música, quase sempre a "dois tempos", fizeram saltar e dançar até à exaustão os mais de 20.000 resistentes. Valeu a pena. Pontuação 5 de 0 a 5.

06 June 2006

Ao vivo... Stuart A. Staples

Data - 03 de Junho de 2006
Local - Santiago Alquimista
Notas - Stuart A. Staples apresentou no passado dia 03 de Junho no Santiago Alquimista o seu novo disco, "Leaving Songs". Um espaço intimista e acolhedor completamente cheio recebeu o líder dos Tindersticks, agora numa carreira a solo.
Durante mais de uma hora um público devoto teve oportunidade de ver um Staples mais comunicativo e simpático do que no tempo dos Tindersticks. Arrisco mesmo a afirmar que parecia mais feliz e estar a tocar com mais prazer.
Esse prazer foi perfeitamente visível no músico e acabou por passar para o público que em certos momentos estava num silêncio absoluto, a prestar culto.
Foi o 10º concerto a que assisti dele (incluindo Tindersticks) e adorei.

05 June 2006

Ao vivo... Duo Ouro Negro

Data - Algures em 1970
Local - Cinema Aviz em Luanda
Notas - O meu primeiro concerto. Tinha sete anos e assisti a um espectáculo do Duo Ouro Negro.

04 June 2006

Raul Indipwo

30.11.1933 - 04.06-2006
Raúl José Aires Corte Peres Cruz, mais conhecido como Raul Indipwo do Duo Ouro Negro, faleceu hoje no Barreiro vítima de doença prolongada. A música do mundo, a cultura Africana, Angola e o seu povo, para quem Raul era uma referência incontornável, ficaram muito mais pobres.
Uma apresentação ao vivo do Duo Ouro Negro no Cinema Aviz em Luanda, foi o primeiro espectáculo musical a que assisti, há mais de 30 anos.
Paz à sua alma, ele que sempre foi um homem bom e que eu tive a felicidade de conhecer pessoalmente.

01 June 2006

Vilar de Mouros

A Portoeventos, empresa que organiza o Festival de Vilar de Mouros anunciou que a edição deste ano do mítico festival, a decorrer entre os dias 21 e 23 de Julho, irá ter o preço único de 35 Euros para os três dias.
É sem dúvida alguma uma boa notícia nos tempos que correm.
A edição deste ano é comemorativa dos 35 anos da internacionalização do Festival. A primeira edição com grupos de relevo no panorama musical foi em 1971 e nela estiveram presentes Elton John e Manfred Man entre outros nomes nacionais como Amália Rodrigues ou Duo Ouro Negro.
Desde então houve em 1982 uma edição que durou nove dias e onde actuaram por exemplo os U2 e os Stranglers; em 1996 o festival regressa com um bom cartaz onde foi possível assistir a um fabuloso concerto dos Young Gods e ao início da decadência dos Stone Roses (Ian Brown completamente embriagado sem saber a letra das canções) que viriam a terminar pouco tempo depois. A partir de 1999 o Festival passa a realizar-se anualmente na bonita vila de Vilar de Mouros.
Por lá já passaram nomes como Robert Plant, Rammstein, Clã, Catatonia, Neil Young, Peter Gabriel, Joss Stone, Alanis Morissette, etc., etc.