11/01/23

Ao vivo... Chariots of Fire

Data - 22 de Setembro de 2022
Local - LAV - Lisboa ao Vivo
Notas - O evento Chariots os Fire trouxe a Portugal os Watain, Abbath, Bolzer e Tribulation. Apesar destes quatro nomes com uma sonoridade mais pesada serem garantia de uma noite memorável, a nova sala do LAV - Lisboa ao Vivo, não encheu.
No entanto, o manto negro do Black Metal invadiu este espaço na que era a última noite de verão e pode-se dizer que valeu a pena, apesar de alguns concertos terem sido demasiado curtos, como por exemplo o dos Tribulation que durou perto de trinta minutos. Está certo e entende-se, pois não eram o cabeça de cartaz, mas para os grandes fans da banda (onde me incluo), soube a pouco. Resta esperar por um concerto em nome próprio.

10/01/23

Ao vivo... Lisa Gerrard & Jules Maxwell

Data - 21 de Novembro de 2022
Local - Centro Cultural de Belém
Notas - Lisa Gerrard (Dead Can Dance) e Jules Maxwell (que também colabora ao nível de teclas com a banda de Lisa e Brendan Perry) apresentaram no grande auditório do CCB o mais recente trabalho editado pelo duo, "Burn".
Produzido por James Chapman, "Burn" é composto por sete belas canções, suaves e melódicas, ternas e mágicas.
Ao ouvi-las, e ao sentirmos o calor emanado pela peculiar voz de Lisa Gerrard - que canta naquela língua que só ela sabe, mas que entendemos perfeitamente - ao ouvir esses temas, somos transportados para longe, ficamos siderados, apodera-se de nós uma inércia, uma inércia boa, que faz com que não queiramos mais nada, não queiramos saber de nada, rendemo-nos, a nossa mente fica absorta nessa magia.
A colaboração entre Lisa Gerrard e Jules Maxwell teve o seu início em 2012 após a digressão que os Dead Can Dance fizeram de promoção ao trabalho editado na altura "Anastasis".
Na primeira parte do concerto foram apresentados alguns excertos de "Nocturnes" e "Cycles", álbuns ambientais editados a solo por Jules Maxwell. Num dos temas apresentados, Jules contou com a colaboração da fadista portuguesa Lina num belíssimo momento musical.

09/01/23

Setlist... Tindersticks

Setlist do concerto dos Tindersticks em Braga, no Theatro Circo

08/01/23

Ao vivo... Tindersticks

Data - 07 de Janeiro de 2023
Local - Theatro Circo - Braga
Notas - Após um dia de mau tempo, com chuva incessável, forte e fria, nada melhor do que entrar na agradável e acolhedora sala do Theatro Circo, Braga, para assistir a um concerto dos Tindersticks, verdadeiro bálsamo para o espírito.
Com um alinhamento muito semelhante ao que tem sido apresentado nos últimos concertos do grupo, há que realçar os novos arranjos em determinadas canções originando novas sonoridades, mas sempre cativantes.
Nem uma ou duas pequenas falhas na voz de Stuart A. Staples - ele próprio queixou-se do frio que se fez sentir na cidade dos Arcebispos -, foi suficiente para quebrar a devoção e o culto que se fez sentir na sala; um silêncio sepulcral.
Infelizmente, ou talvez não, consta que o grupo irá fazer uma pausa de cerca de um ano nos espectáculos ao vivo, para procederem à gravação do sucessor de "Distractions" editado em 2021, para além da banda-sonora do filme "Stars at Noon" de 2022.
Sabe sempre bem um novo disco e a respectiva digressão de apresentação do mesmo, pois uma característica do grupo é, após a edição de um novo trabalho, uma nova digressão.

06/01/23

Recortes... Tindersticks

 

Folheto do concerto na Casa da Música, Porto

Setlist... Tindersticks

Setlist do concerto no Porto

Ao vivo... Tindersticks

Data - 22 de Fevereiro de 2020
Local - Casa da Música
Notas - Faro, Lisboa, Leiria, Coimbra, finalmente o Porto. Foi na excelente sala Suggia da Casa da Música que Stuart A. Staples, Neil Fraser, David Boulter, Earl Harvin e Mark Colwill, deram por terminada esta digressão por Portugal.
Cinco salas cinco localidades no espaço de uma semana durante a qual estávamos muito longe de imaginar que vinha aí uma pandemia que ia obrigar a encerrar tudo durante algum (muito) tempo e ao cancelamento de imensos espectáculos durante imenso tempo, criando um vazio assustador e desesperante dentro de muita gente, não só de quem vive da música como também de quem precisa da música para viver. Para além disto, e não é uma questão de somenos, viria a dar origem a graves crises financeiras para um enorme grupo de músicos e muitas salas que encerraram portas para não mais as abrir.
Quanto aos Tindersticks, como é habitual, é um grupo que não desilude e que tem uma enorme legião de fans em Portugal.
Foram cinco bons concertos, com alinhamentos simultaneamente parecidos e diferentes, pois a música deste grupo que já leva 30 anos de carreira tem algo diferente, é repleta de pormenores e, de cada vez que se ouve, descobre-se algo que nos passou despercebido das audições anteriores.

05/01/23

Ao vivo... Tindersticks

Data - 21 de Fevereiro de 2020
Local - Convento de São Francisco - Coimbra
Notas - Depois de Faro, Lisboa e Leiria, eis que chega a vez de Coimbra para o penúltimo concerto por terras lusas.

04/01/23

Setlist... Tindersticks

Setlist do concerto de Leiria
 

Ao vivo... Tindersticks

Data - 20 de Fevereiro de 2020
Local - Teatro José Lúcio da Silva - Leiria
Notas - Terceiro concerto, desta vez em Leiria e, à semelhança dos anteriores, casa cheia para desfrutar de uma excelente noite.

03/01/23

Setlist... Tindersticks

Setlist do concerto na Aula Magna.

Ao vivo... Tindersticks

Data - 18 de Fevereiro de 2020
Local - Aula Magna - Lisboa
Notas -  Segundo concerto da digressão dos Tindersticks por Portugal.

02/01/23

Setlist... Tindersticks

Setlist do concerto dos Tindersticks em Faro, no dia 17 de Fevereiro de 2020.
 

Ao vivo... Tindersticks

 

Data - 17 de Fevereiro de 2020
Local - Teatro das Figuras - Faro
Notas - Bilhete autografado por Stuart A. Staples, Neil Fraser e David Boulter. Primeiro de uma série de 5 concertos por outras tantas localidades de Portugal.

20/07/22

Momentos... Festival Primavera Sound

Aspecto dos dois principais palcos da edição do Festival Primavera Sound 2022, Barcelona.

Recortes... Metamito

Impresso de apresentação do concerto de Metamito, no dia 05 de Junho de 2021, no Centro Cultural da Malaposta.

01/06/22

Ao vivo... Excesso

 
Data  - 30 de Outubro de 1998
Local - Praça Sony (Expo 98)
Notas - Após o final da Expo 98 houve vários concertos na denominada Praça Sony, chegando a ser admitida a possibilidade de este local ficar como espaço para a realização de espectáculos, algo que aconteceu durante pouco tempo.
Os Excesso, considerados a primeira boys band da música portuguesa, na altura gozavam de enorme popularidade devido ao seu primeiro trabalho, "Eu Sou Aquele" editado em 1997, não sendo de estranhar que o recinto esgotasse para os ouvir.
Formados por Gonzo, Carlos, Melão, Duck e João Portugal, o grupo obteve enorme sucesso - principalmente junto do público feminino juvenil - durante o período da sua actividade, que foi de 1997 até 2002, altura em que editaram o último trabalho "Tudo Mudou" que passou ligeiramente despercebido.
Desde então, os diversos membros do grupo criaram projectos pessoais, não conseguindo alcançar os níveis de êxito obtidos em conjunto.
"Eu Sou Aquele" de 1997, "Até Ao Fim" de 1999 e "Tudo Mudou" foram os álbuns editados pela banda.

19/10/21

Ao vivo... Rock Rendez-Vous

Folheto encontrado na internet com alguns concertos agendados na mítica sala da Rua da Beneficência, em Lisboa, no ano de 1983
Por esta acolhedora sala passaram muitos grupos de rock português que aproveitaram o boom surgido no início dos anos 80 após a edição de "Ar de Rock" do Rui Veloso, apelidado por muitos como o pai do rock português, algo de que discordo completamente.
Dos grupos que surgem nesta lista, destaco os concertos a que assisti: Heróis do Mar, Go Graal Blues Band, UHF e Sétima Legião.

Os Heróis do Mar talvez tenham sido a banda de maior qualidade individual surgida no auge do rock português dos anos 80, o que acabou por gerar conflitos internos em termos de criatividade levando à sua extinção em 1989, deixando um dos mais ricos legados da música portuguesa, não só através das suas edições discográficas com discos de enorme qualidade, como também de grupos musicais a que deram origem e influenciaram, tendo inclusivamente produzido vários trabalhos de excelentes músicos.

Quanto à Go Graal Blues Band, nesta altura era formada pelo João Allain nas guitarras e o Paulo Gonzo na voz, que vinham da formação original, da qual já tinha saído o vocalista José Carlos Cordeiro que participou no primeiro álbum do grupo e no single "They Send Me Away". Faziam ainda parte do grupo (na altura deste concerto no RRV) Fernando Delaere no baixo e Hippo Birdie na bateria. Pouco tempos depois, devido a divergências internas, estes dois elementos abandonam o grupo e vão para os Roxigénio de António Garcez e Filipe Mendes. O grupo viria a terminar em 1987, após a edição e fracasso do álbum "So Down Train". Dos músicos que fizeram parte da Go Graal Blues Band, Paulo Gonzo seguiu carreira a solo e José Carlos Cordeiro fundou um novo grupo de Blues puro, Big Rolling Wheel, que editou o seu primeiro trabalho em 2017. Quanto a João Allain praticamente deixou de tocar.

Dos grupos que aparecem neste cartaz, o único que se mantém no activo são os UHF, sempre fieis ao seu estilo e liderados pelo carismático António Manuel Ribeiro. Esta banda de Almada já na altura era considerada uma das mais profissionais do panorama musical português. Actualmente continuam a editar discos com regularidade, discos que não deslumbram nem desiludem, não inovam e pouco acrescentam à longa discografia editada. Os UHF tornaram-se (cada vez mais) a banda de António Manuel Ribeiro, uma banda que gira em torno de um músico de mérito reconhecido, sobretudo em termos poéticos, só que ao terem esta "estratégia", fazem que não exista propriamente uma evolução, mas sim uma continuidade, visto assentar tudo numa só pessoa. Uma banda com muitos anos de estrada e de discos.

Os Sétima Legião que se formaram em 1982 aproveitando o chamado boom do rock português tiveram uma carreira que durou praticamente até ao início do ano 2000. Editaram vários discos sempre num estilo muito próprio onde criavam uma fusão de música pop-rock com música tradicional portuguesa recorrendo a instrumentos como gaita-de-foles, viola-d'arco e samplers, criando um som característico e de muita qualidade. Os Sétima Legião foram uma das grandes bandas surgidas na altura e que, tal como os Heróis do Mar, deixaram um excelente legado musical com temas que hoje em dia são considerados clássicos da música portuguesa, como por exemplo "Glória", "Sete Mares" ou "Por Quem Não Esqueci".

Finalmente, e mais a título de curiosidade, abordo Landum, Ricardo Landum. Fundador dos TNT, grupo que durou pouco tempo e editou três singles, tendo obtido bastante sucesso com o primeiro "Tudo Bem". Os TNT também passaram pelo RRV e terminaram a sua actividade após o fracasso do terceiro single "A Miragem". Desde essa altura Ricardo Landum tentou a sua carreira a solo falhando completamente e, após isto, dedicou-se à função de produtor e a escrever canções de música ligeira, a chamada "Música Pimba", onde, aí sim, obteve enorme sucesso. Escreveu temas para vários cantores, dos quais se podem destacar Ágata e, principalmente, Tony Carreira, sendo alguns dos maiores sucessos deste músico de autoria de Ricardo Landum.

11/09/21

Ao vivo... Rui Reininho

Data - 10 de Setembro de 2021
Local - Culturgest
Notas - Concerto de apresentação do novo trabalho a solo de Rui Reininho, "20 000 Éguas Submarinas".
Apesar de a lotação do espaço estar reduzida a 50% devido à pandemia, o magnífico auditório da Culturgest não encheu para a recepção a Rui Reininho, algo que acaba por não ser estranho, atendendo à, passe a redundância, estranheza do disco.
Música muito experimental e complexa, temas repletos de pormenores e sonoridades nem sempre de fácil audição, temas que nos transportam ao fundo dos mares ou às remotas paisagens tibetanas. Certos pormenores de alguns dos temas deste novo trabalho de Rui Reininho trazem-nos à memória o seu início musical com os Anar Band ao lado Jorge Lima Barreto. Quer no tempo dos Anar Band quer neste novo trabalho, a música apresentada é de grande nível e muito bem construída, mas nem sempre fácil de digerir.
Em palco Rui Reininho fez-se acompanhar por Pedro Oliveira nas percussões, Julius Gabriel no saxofone, Paulo Borges nas teclas e Alexandre Soares nas guitarras, um grupo de excelentes músicos que conseguiram transmitir em palco o ambiente pretendido.
Um excelente concerto cujo alinhamento incidiu sobre este excelente disco acabado de editar.

06/06/21

Ao vivo... Metamito

Data - 05 de Junho de 2021
Local - Centro Cultural da Malaposta
Notas - Sala pequena e acolhedora para a recepção a um dos novos talentos da música portuguesa, Metamito.
Natural de Lisboa, com apenas 22 anos e vencedor de um concurso da Rádio SBSR, António Miguel apresentou-nos durante cerca de uma hora um leque de canções que viajam desde o mais puro dream pop a ambiências indie que chegam a "navegar" próximo de sonoridades psicadélicas não deixando de trazer à memória alguns temas dos Tame Impala, seguramente uma das maiores influências de Metamito a par dos Linda Martini, se bem que, enquanto que a influência dos australianos Tame Impala está bem patente a nível instrumental, a dos portugueses Linda Martini é mais notória a nível vocal. Esta conjugação de influências e sonoridades torna a música de Metamito muito agradável.
Recorrendo a uma loopstation à qual vai adicionando, guitarras, sintetizadores e guitarra portuguesa, cantando com a sua voz suave, Metamito proporcionou um excelente concerto e é um nome a ter em conta no panorama musical indie pop português.

31/05/21

Lisa Gerrard & Jules Maxwell - Burn

"Burn" de Lisa Gerrard e Jules Maxwell (teclista dos Dead Can Dance) será, seguramente, um dos grandes discos de 2021.
Os teclados e a estrutura musical criada por Maxwell e a voz celestial de Lisa transportam-nos para longe, para longe de tudo o que nos rodeia, para longe dos lugares que nos assombram, abrem as janelas que nos sufocam e levam-nos para um local imaginário, daqueles que nos dias de hoje são impossíveis de alcançar fisicamente, levam-nos para um mundo perfeito, fazem-nos acreditar que isso talvez exista, criam em nós algo parecido com "estado de transe" em que tudo pára para que possamos disfrutar desta música e desta voz.
Algo nos bloqueia quando a ouvimos cantar, mas por outro lado liberta-nos, liberta os nossos medos, as nossas ansiedades.
Mesmo cantando numa linguagem imperceptível, algo a que Lisa Gerrard nos habituou cantando no seu "Gerrardês", é como se esta música fosse cantada numa letra que todos nós percebemos, pois sentimo-la, a mensagem está lá, está no modo como é cantada, tocada e sentida.
Impossível alguém ficar indiferente à beleza de "Orion (The Weary Huntsman)".
Composto por sete temas, "Burn" é um disco obrigatório e viciante.

01 - Heleali (The Sea Will Rise)
02 - Noyalain (Burn)
03 - Deshta (Forever)
04 - Aldavyeem (A Time To Dance)
05 - Orion (The Weary Huntsman)
06 - Keason (Until My Strengh Retunrs)
07 - Do So Yol (Gather The Wind)

Nota - 9/10

15/09/20

Ao vivo... GNR

Data - 13 de Setembro de 2020
Local - Quinta da Alfarrobeira
Notas - Concerto dos GNR com o típico alinhamento "Best Of...".
Bom concerto, curto, e segundo as regras da DGS: lugares sentados, intervalo entre as cadeiras e mais uma série de limitações obrigatórias que acabavam por limitar e refrear um ligeiramente o entusiasmo do público.
Apesar disso o grupo cumpriu e mostrou-se extremamente satisfeito pelo regresso aos palcos após um interregno de quase oito meses, motivado pela pandemia da COVID-19.
Na primeira parte actuaram os Cordel, grupo cujas raízes assentam na música tradicional portuguesa e que durante cerca de 45 minutos proporcionaram bons momentos musicais.
Um bom final de tarde com boa música.

21/08/20

Homenagem... Alexandre O'Neill


Alexandre O'Neill deixou-nos neste dia, em 1986

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

19/08/20

Momentos... Sabotage Club


Já se sabia há algum tempo que o Sabotage Rock Club passava por algumas dificuldades e que não seria por muito tempo que conseguiria manter-se na Rua de São Paulo, Cais do Sodré, devido à especulação imobiliária existente na zona - e na cidade de Lisboa em geral - com a proliferação de instalações vocacionadas para o turismo, nomeadamente Alojamento Local, especulação essa que tem como forte aliada uma lei que, de certo modo, "facilita" os despejos.
Para além disto, após o encerramento obrigatório motivado pela pandemia originada pela COVID-19, a situação financeira do clube agravou-se imenso tendo sido comunicado hoje o encerramento do mesmo pois não seria de todo possível o espaço actual adaptar-se às novas medidas ditadas pela DGS nem a todos os custos inerentes à manutenção da actividade no espaço da Rua de São Paulo.
Segundo a gerência do clube, trata-se mais de um "Até Já" do que de um adeus. Deseja-se que assim seja.
Procura-se um novo espaço que dificilmente será na mesma zona, procura-se, acima de tudo, um possível regresso à normalidade das nossas vidas, e espera-se que o sector cultural, que foi o primeiro a fechar e parece vir a ser o ultimo a abrir, consiga suportar este momento muito difícil.
Mas há que ter esperança, pois parece que pode haver a Festa do Avante...

13/07/20

Setlist... Linda Martini


 Setlist do concerto dos Linda Martini, no Teatro São Luiz

10/07/20

Ao vivo... Linda Martini


Data - 09 de Julho de 2020
Local - Teatro São Luiz
Notas - Primeira ida a um concerto após a reabertura de algumas actividades ligadas à que parece "mal-amada" cultura.
Com o objectivo de minimizar ao máximo os efeitos da pandemia e do longo confinamento a que fomos obrigados por uma questão de saúde pública, o Musicbox aliou-se ao Teatro São Luíz para que desse modo fosse possível realizar uma série de concertos seguindo as regras de ocupação e prevenção ditadas pela Direcção-Geral da Saúde.
A bonita sala Luís Miguel Cintra do teatro São Luiz viu a sua capacidade reduzida a menos de cinquenta por cento, ficando com uma capacidade de perto de 300 pessoas. Mesmo assim o concerto não esgotou, apesar de os Linda Martini, normalmente, esgotarem as salas por onde passam.
Seguramente continua a existir algum receio por parte do público, no que se refere a sair, ir a um concerto, divertir-se, no fundo, tentar ter uma vida um pouco mais normal, até por uma questão de sanidade mental conforme referiu André Henriques, vocalista e guitarrista desta banda de Lisboa, da qual fazem ainda parte Cláudia Guerreiro (baixo), Hélio Morais (bateria) e Pedro Geraldes (guitarra).
Mesmo sendo estranho assistir sentado a um concerto dos Linda Martini, num teatro, com intervalo de uma cadeira entre cada espectador, foi muito bom e deu para matar saudades do ambiente de um concerto, de sentir a música que nos envolve, cura e faz-nos sentir vivos, e é salutar saber que podemos voltar a ser felizes, podemos voltar a sentir a envolvência de um concerto, que havemos de voltar a saltar, dançar, fazer mosh e crowd surfing, como se costuma fazer nos concertos dos Linda Martini.
Durante quase hora e meia, com um alinhamento muito bem escolhido que abrangeu toda a obra do grupo, foi bom, mesmo muito bom.

12/02/20

Setlist... The Limit



 Setlist do concerto dos The Limit, no Sabotage Clube

11/02/20

Recortes... The Limit


Cartaz do concerto dos The Limit no Sabotage Club

10/02/20

Ao vivo... The Limit


Data - 08 de Fevereiro de 2020
Local - Sabotage Club
Notas - Os The Limit, super-grupo liderado pelo carismático Bobby Liebling dos históricos Pentagram, apresentaram-se no Sabotage Club para um noite que tinha como objectivo apresentar alguns temas do disco que se preparam para editar brevemente e cujas gravações passam por Portugal.
Jimmy Recca (The Stooges e New Order), Sonny Vincent (Testers), Hugo Conim (Dawnrider) e João Pedros (Dawnrider), são os restantes membros do grupo e todos eles estiveram presentes no pequeno mas excelente palco do Sabotage Clube, palco por onde já passaram imensos músicos dos mais diversos quadrantes musicais, proporcionando excelentes momentos.
Quanto ao concerto desta noite, como era expectável, foi curto mas intenso... mesmo muito intenso.
Com uma setlist de apenas seis temas e uma sala infelizmente longe estar cheia (apesar de ser um espaço pequeno), foi um concerto de grande nível tendo sido evidente a experiência dos músicos, a simpatia, e o agrado demonstrado em palco, portando-se como se fossem crianças apesar da idade dos membros do que se poderá chamar núcleo duro da banda.
São estes momentos - vividos por quem está em palco que depois acaba por contagiar quem está do outro lado, na plateia, que fazem com que uma simples noite de um concerto de rock puro e duro, tocado por um grupo de que não se conhece um único tema mas se conhecem todos os músicos, grupo que nos presenteia com um alinhamento de apenas seis temas durante pouco mais de trinta minutos -, sim, foram estes momentos, foram estes os condimentos que fizeram desta noite, uma noite que irá perdurar na memória de quem lá esteve.

13/12/19

Ao vivo... The National

Data - 12 de Dezembro de 2019
Local - Campo Pequeno
Notas - Mais um concerto dos The National em Portugal, mais uma noite em que se assiste a algo que vai para além do simples concerto; assiste-se ao prestar de um culto, a uma demonstração de devoção a uma banda que sabe estar em palco e que não dá maus concertos.
Foram quase duas horas com um alinhamento quase perfeito.
Só foi pena ter sido naquele que, para mim, é um dos piores locais para concertos em Lisboa.
Voltam em Junho, não ao sítio ideal, mas ao Rock in Rio.

20/10/19

Setlist - Orchestral Manoeuvres in The Dark

Fotografia possível da setlist do concerto dos OMD (Orchestral Manoeuvres in The Dark), na Aula Magna.

18/10/19

Ao vivo... Orchestral Manoeuvres in the Dark

Data - 15 de Outubro de 2019
Local - Aula Magna
Notas - Quem diria que já lá vão 40 anos desde que o single "Electricity" deu a conhecer esta excelente banda formada em Liverpool no ano de 1978!
Desde então já lançaram mais de uma dezena de álbuns numa longa carreira, com discos menos conseguidos e inclusivamente com um interregno entre 1996, após a edição de "Universal" e o regresso em 2010 com o "History of Modern".
Desde então, o duo regressou aos palcos, proporcionando aos seus imensos fans belíssimos momentos, não só de regresso ao passado mas também de uma frescura musical, pouco usual nos dias que correm, com uma música pop bastante dançável.
Na primeira parte actuaram os portugueses Cavaliers of Fun para uma actuação curta, de cerca de trinta minutos muito agradáveis. Um grupo a descobrir e ouvir com muita atenção.

12/09/19

Setlist... James

Setlist do concerto dos James, junto à Torre de Belém, no dia 07 de Setembro de 2019

01 - Sit Dowx
02 - Tomorrow
03 - Leviathan
04 - What's It All About
05 - Stutter
06 - She's a Star
07 - Out to Get You
08 - Heads
09 - Sometimes
10 - Attention
11 - Many Faces
12 - Laid
13 - Getting Away With It (All Messed Up)
14 - Come Home
15 - Sound
16 - Top of The World

02/09/19

Ao vivo... Festival Super Bock Super Rock

Data - 18, 19 e 20 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - O regresso ao Meco do festival mais mutante de Lisboa.

14/08/19

Ao vivo... Festival Paredes de Coura

Data - 14 de Agosto de 2019
Local - Praia do Taboão - Paredes de Coura
Notas - Mais uma edição daquele que considero o melhor festival do país e no mais agradável espaço.

06/08/19

Pulseira... Festival Primavera Sound Barcelona

 
Cartão e pulseira de acesso ao recinto do Festival Primavera Sound Barcelona 2019.

25/07/19

Ao vivo... Muse

Data - 24 de Julho de 2019
Local - Passeio Marítimo de Algés
Notas - Se em termos cénicos, qualidade sonora e desempenho por parte dos elementos do grupo este concerto foi irrepreensível, não deixámos no entanto de ficar com um ligeiro sabor agridoce.
Sendo a digressão dos Muse intitulada "Simulation Theory Tour" era óbvio que o alinhamento do concerto incidisse principalmente no mais recente disco "Simulation Theory", editado no final do ano passado. Assim foi, e desse trabalho, Matthew Bellamy, Christopher Wolstenholme e Dominic Howard, tocaram oito temas que, por incrível que possa parecer, ainda permanecem algo desconhecidos por parte de muito do público presente, tendo como consequência alguma falta de entusiasmo dos espectadores que acabou por se repercutir no resto do concerto, não deixando de causar alguma estranheza a apatia do público em temas como, por exemplo, "Plug in Baby" ou "Time is Running Out".
Outro aspecto menos bom foi o facto de o palco "secundário" estar colocado num nível muito baixo, fazendo com que grande parte dos espectadores não conseguissem vêr o grupo quando para lá ia, arrefecendo um pouco os ânimos.
No geral foi um óptimo concerto e, pela parte que me toca, continuo a não achar positivo a questão da divisão da plateia em duas "categorias", mas isso são opções dos grupos ou das organizações e, ressalvo que o facto de se ficar na plateia mais junto ao palco nem sempre quer dizer que quem lá fica sejam os maiores fans dos grupos... antes pelo contrário.
A anteceder a actuação dos Muse, passaram pelo palco no Passeio Marítimo de Algés os Mini Mansions para um concerto muito discreto tipicamente de final de tarde, e ainda Miles Kane em muito bom nível, a justificar mesmo um espectáculo em nome próprio numa sala de pequena dimensão.

20/07/19

Ao vivo... Capitão Fausto

Data - 19 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - Os Capitão Fausto são, seguramente, uma das melhores bandas portuguesas em palco nos dias que correm, e nesta edição ficou mais uma vez provado.
Actuando no palco secundário, ainda de dia e sendo um dos primeiros concertos, não deixou de ser interessante ver a quantidade de público que cantou, dançou e vibrou ao som da banda.

Ao vivo... Charlotte Gainsbourg

Data - 19 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - Nem as pequenas falhas no som que em determinas alturas tornavam quase inaudível a voz de Charlotte e dos elementos do seu grupo impediram que este concerto fosse muito bom.
A voz doce, frágil e terna de Charlotte e o seu pop melódico encantaram o público que em número razoável se dirigiu ao palco secundário de mais uma edição do Super Bock Super Rock, que em boa hora decidiu regressar à zona do Meco.

19/07/19

Ao vivo... Lana Del Rey

Data - 18 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - Lana Del Rey, como cabeça de cartaz do primeiro dia do SBSR e graças à imensa legião de fans que se deslocou à Herdade do Cabeço da Flauta, proporcionou a maior enchente do festival e, seguramente, as maiores dores de cabeça ao público, que no final demorou cerca de três horas - quando não mais - para conseguir sair da zona de estacionamento das viaturas,
No que diz respeito ao concerto propriamente dito, a cantora nascida em New York em Junho de 1985, para além de deslumbrar os mais novos que se "apinhavam" junto do palco, agradou muito aos menos novos, sendo um concerto transversal percorrendo as várias faixas etárias, originando que uns ficassem extasiados de prazer, e outros satisfeitos, não dando o tempo por mal empregue.

Setlist:

West Coast (Intro)
Born to Die
Cherry
Pretty When You Cry
Blue Jeans
Mariners Apartment Complex
Change / Black Beauty / Young and Beautiful
Ride
Video Games
Doin' Time /Sublime Cover)
National Anthem
Summertime Sadness
Off to the Races
Venice Bitch

Ao vivo... The 1975

Data - 18 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - Os ingleses The 1975 deram um concerto cheio de energia com o seu Pop-Rock que acaba por tornar-se aborrecido, pelo menos para quem não é grande apreciador da sua música.
Comunicativos e enérgicos em palco, não deixou de ser visível algum egocentrismo do grupo chegando ao ponto de mencionarem "palavras de ordem" como "Rock and Roll is Died", e logo de seguida "God Bless The 1975", auto intitulando-se (quase) como o supra-sumo da música.
O talento está lá, mas um pouco de modéstia na postura em palco não lhes ficaria mal.

Setlist

Give Yourself a Try
TooTimeTooTimeTooTime
She's American
Sincerity Is Scary
It's Not Living (If It's Not With You)
Robbers
Love Me
I Couldn't Be More in Love
I Like America and America Likes Me
Somebody Else
I Always Wanna Die (Sometimes)
Love It If We Made It
Chocolate
Sex
The Sound

Ao vivo... Jungle

Data - 18 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - A existir um vencedor neste primeiro dia do festival, eles seriam, seguramente, os ingleses Jungle com o seu electrizante soul e uma energia em palco contagiante.
O grande concerto e o som de excelente qualidade fizeram com que, mesmo quem não fosse grande apreciador do grupo, não deixasse de dançar e fazer parte da festa dos Jungle. Muito bom.

Setlist do concerto:

Smile
Heavy, California
The Heat
Julia
Happy Man
Beat 54 (All Good Now)
Cherry
Casio
Pray
Platoon
Drops
Busy Earnin'
Time

Ao vivo... Cat Power

Data - 18 de Julho de 2019
Local - Herdade do Cabeço da Flauta - Meco
Notas - Cat Power foi o nome escolhido para abrir o palco principal da edição do Festival Super Bock Super Rock, o festival mais mutante do país, que no entanto este ano regressou à zona do Meco, de onde nunca devia ter saído, na opinião de quem escreve este texto.
Trazendo na bagagem o seu mais recente trabalho "Wanderer" editado no último trimestre do ano passado, e perante uma plateia algo apática, Chan Marshall, simpática e mais comunicativa que é usual em si, deu um concerto morno, cumprindo sem no entanto deslumbrar.
Decididamente, a música de Cat Power funciona melhor em espaços mais intimistas do que em grandes recintos.

Momentos - Super Bock Super Rock

Recinto onde decorreu a edição de 2019 do SBSR

Momentos... Festival Super Bock Super Rock

Cartaz e acesso ao recinto do Festival Super Bock Super Rock, 2019

18/07/19

Pulseira - Festival Super Bock Super Rock

Pulseira da edição de 2019 do SBSR

17/07/19

Recortes... Festival Super Bock Super Rock

Com o rock cada vez mais ausente, aí está mais uma edição do Festival Super Bock Super Rock, que este ano regressa à zona do Meco.
Espera-se que corra melhor, em termos logísticos e organização, do que nos últimos anos em que lá se realizou, mas diga-se o que se disser, ali é o seu lugar.