26 November 2015

Setlist... Arcade Fire

Setlist do concerto dos Arcade Fire no Festival Primavera Sound Barcelona, no dia 29 de Maio de 2014.

25 November 2015

Ao vivo... Kurt Vile

Data - 24 de Novembro de 2015
Local - Armazém F
Notas - O norte-americano Kurt Vile, repetiu a receita da noite anterior dos Beach House. Casa cheia, setlist assente no disco editado recentemente B'lieve I'm Goin Down, um dos mais aclamados discos deste ano, mas sem deixar de tocar alguns temas dos seus anteriores trabalhos discográficos.

24 November 2015

Ao vivo... Beach House

Data - 23 de Novembro de 2015
Local - Armazém F
Notas - Mais uma noite mágica nesta pena sala de Lisboa. Depois de terem actuado neste mesmo espaço em 2013, com lotação esgotada, o grupo de Victoria Legrand e Alex Scally voltou a esgotar, não se percebendo o porquê de não se realizar o concerto numa sala maior, como por exemplo o Coliseu de Lisboa ou a Aula Magna.
Trazendo na bagagem dois discos editados recentemente, "Depression Cherry" e "Thank You Lucky Stars", o alinhamento percorreu ainda os anteriores trabalhos do grupo, numa excelente noite de celebração musical, de momentos mágicos e sedutores, algo habitual nos Beach House.

23 November 2015

Ao vivo... Lower Dens

Data - 21 de Novembro de 2015
Local - Galeria Zé Dos Bois
Notas - Casa cheia, aquário a "rebentar pelas costuras", noite muito fria a contrastar com o calor abrasador desta pequena sala por onde, por norma, passam concertos de grande qualidade, e os Lower Dens, banda de Jana Huntler não desiludiram neste regresso a Lisboa, apresentando temas do mais recente disco "Escape From Evil", de "Nootropics" de 2012 e também de "Twin-Hand Movement", o álbum com que se estreou em 2010 este grupo de Baltimore, sendo de imediato muito bem recebidos pela crítica musical e pelo público, criando um grupo de fieis seguidores.

20 November 2015

Ao vivo... Sean N. Savage e Weyes Blood

Data - 19 de Novembro de 2015
Local - Galeria Zé Dos Bois
Notas - Mais um excelente concerto na ZDB. Com a forma estranha de estar em palco Sean N. Savage trouxe-nos a sua música muito enraizado no indie-pop, com um concerto extremamente agradável numa primeira parte que antecedeu o belíssimo concerto de Weyes Blood e, já perto do final, "a cereja no topo do bolo", um dueto. Brilhante.

03 November 2015

Setlist... GNR

Setlist do concerto dos GNR, no Coliseu dos Recreios, dia 31 de Outubro de 2015

02 November 2015

Ao vivo... GNR

Data - 31 de Outubro de 2015
Local - Coliseu dos Recreios
Notas - Mais um excelente concerto de uma banda história do pop/rock português, mas que, vá-se lá saber porquê, raramente tem bom público nos seus concertos em Lisboa, apesar de manter uma edição regular de excelentes discos repletos de óptimas canções. Este concerto teve como mote principal a apresentação do mais recente trabalho, "Caixa Negra", um dos melhores de música portuguesa editados durante este ano de 2015.

28 September 2015

Ao vivo... Cured Pink - Fingers

Data - 24 de Setembro de 2015
Local - Galeria Zé dos Bois
Notas - Nesta noite, na ZDB apresentaram-se dois grupos australianos com enorme vontade de emergirem no panorama da música independente numa vertente mais experimentalista.
O trio Fingers, composto por Samuel Karmel, Carla dal Forno e Tarquin Manek, apresentaram temas de "Hide Before Dinner", disco editado para a conceituada Blackest Ever Black. Com uma estrutura musical assente em guitarra e teclas, foi um concerto demasiado morno, um pouco por desconhecimento da obra do grupo, por parte do pouco público presente.
Relativamente aos Cured Pink, nesta sua estreia em termos de digressão europeia, Andrew McLellan, Mitchell Perkins, Glen Schenau e Stuart Busby, deram um concerto interessante, mas que não chegou a empolgar, ficando no entanto a ideia que a banda pode chegar um pouco mais longe.

11 September 2015

Ao vivo... Angel Olsen

Data - 09 de Setembro de 2015
Local - Galeria Zé dos Bois
Notas - A norte-americana Angel Olsen apresentou-se sozinha no palco do aquário da Galeria Zé dos Bois, para um excelente concerto, intimista, interagindo muito com o público que esgotou por completo a pequena sala, mostrando-se simpática e feliz por estar perante uma plateia devota e resistente ao imenso calor que se fazia sentir.
O seu mais recente trabalho, "Burn Your Fire for No Witness", editado em 2014 pela Jagjaguwar, serviu de suporte ao alinhamento da noite, mas também tivemos a oportunidade de ouvir temas dos discos anteriormente editados pela Bathetic Records, "Half Way Home" de 2012 e "Strange Cacti" de 2011, dois bons trabalhos de uma cantora que tem construído uma carreira sólida mas ainda curta, assente no Indie Folk e Country de raízes americanas, mas sem nunca entrar pelos campos do Folk e Country tradicionais, dando-lhe sempre uma característica indie, funcionando a sua bem timbrada voz como "a cereja no topo do bolo".

07 August 2015

Ao vivo... GNR

Data - 06 de Agosto de 2015
Local - Casino Estoril
Notas - Num formato próximo do acústico, Rui Reininho, Jorge Romão, Toli César Machado e amigos, apresentaram um alinhamento em jeito Best Of, ficando de fora a maior parte dos temas do mais recente disco, "Caixa Negra", editado este ano.
Num concerto que durou cerca de hora e meia, foi possível ouvir alguns dos maiores êxitos desta banda que está cada vez mais pop e cada vez menos rock, e isso é bom.
Entre as canções tocadas, destaque para Tirana, Sangue Oculto, Morte ao Sol, Caixa Negra, Popless, Ana Lee, Asas, Desnorteado, e a fundamental Dunas, entre muitos outros temas.
Um bom concerto perante uma plateia apática, como se estivessem num evento de gala. Nem a farpa de Reininho "obrigado por todo o vosso apoio" foi suficiente para quebrar o gelo de uma plateia fria.
Espera-se que o concerto agendado para Outubro no Coliseu de Lisboa, tenha mais participação por parte do público, o que não será difícil.

05 August 2015

Ao vivo... Taylor Swift

Data - 27 de Junho de 2015
Local - Hyde Park
Notas - Estrela do momento da música, sendo das cantoras que mais vende actualmente e, consequentemente, mais público arrasta, Taylor Swift esgotou o imenso Hyde Park e, perante uma plateia de cerca de 65000 pessoas de todas as idades, deu um bom concerto, rodeada de excelentes músicos, uma dúzia de bailarinos e com uma boa presença em palco.
Tocaram ainda Vance Joy, John Newman e Ellie Goulding.
Setlist do concerto de Taylor Swift.

01 - Welcome To New York
02 - New Romantics
03 - Blank Space
04 - I Knew You Were Trouble
05 - I Wish You Would
06 - How You Get The Girl
07 - I Know Places
08 - All You Had To Do Was Stay
09 - You Are In Love
10 - Clean
11 - Love Story
12 - Bad Blood
13 - We Are Never Ever Getting Back Together
14 - Style
15 - This Love
16 - Wildest Dreams
17 - Out Of The Woods
18 - Shake It Off

04 August 2015

Ao vivo... Orlando Julius & The Heliocentrics

Data - 25 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Orlando Julius, da Nigéria, apresentou-se em Sines com os Heliocentrics, num bom concerto com muito afrobeat, jazz, R&B, funk, algum psicadelismo, muita improvisação, e muita diversão. Sendo considerado por muitos uma lenda da música africana, Julius apresentou temas do trabalho editado no final do ano passado "Jaiyede Afro", gravado com os Heliocentrics, banda composta por músicos, na sua maioria, americanos, que também estiveram em palco.
Uma excelente forma de terminar os concertos no castelo, nesta edição do Festival Músicas do Mundo, encerramento esse ao qual não faltou, como já é tradição, o espectáculo de fogo de artifício.

Ao vivo... Salif Keita

Data - 25 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - A voz de ouro da música africana esteve na edição deste ano do Festival Músicas do Mundo. Salif Keita, nascido em Djoliba, Mali, no dia 25 de Agosto de 1949, interpretou com a sua característica e inconfundível voz, alguns dos seus maiores êxitos, de uma carreira longa, com muitas adversidades motivadas pelas suas características albinas, algo que na cultura do Mali (Madinka), e em grande parte de África, é visto como um mau presságio, fazendo com que essas pessoas sejam ostracizadas.
Aos 18 anos Keita decide abandonar a sua cidade Natal e muda-se para Bamako, onde se junta aos Super Rail Band de Bamako, para em 1973 passar a fazer parte dos Les Ambassadeurs, colectivo que a meio da década de 70 decide abandonar o Mali para fugir à instabilidade política da altura; mudam-se para Abidjan, Costa do Marfim e passam a chamar-se Les Ambassadeurs Internationales, ganhando alguma reputação a nível internacional, reputação essa que fez com que Keita se mudasse para Paris em 1984, para, dessa forma, poder expandir a sua música.
O concerto da edição deste anos inseriu-se na digressão acústica que o músico anda actualmente a fazer, num regresso às origens.

Setlist... James

Setlist do concerto dos James na Expofacic - Cantanhede

All I'm Saying
Waltzing alone
Seven
Sit Down
Interrogation
Gone Baby Gone
Curse Curse
Say Something
Sometimes
PS
Walk Like You
Just Like Fred Astaire
Moving on
Come Home
Sound
She's a Star
Out To Get You
Getting Away With It
Laid

03 August 2015

Ao vivo... James

Data - 01 de Agosto de 2015
Local - Expofacic - Cantanhede
Notas - Formados em Manchester no ano de 1981, os James continuam a arrastar atrás de si uma enorme e fiel legião de fans, que de forma incondicional mantém o seu apoio a um grupo que insiste em perdurar no tempo, superando o período em que Tim Booth decide abandonar a banda (2001 a 2007).
Desde essa altura, desde esse reactivar de uma das bandas que mais sucesso obteve nos anos 80/90, os James editaram Hey Ma (2008), The Night Before (2010), The Morning After (2010), e o soberbo "La Petit Mort", considerado por muitos críticos um dos melhores discos de 2014.
Tim Booth na voz, Jim Gleannie no baixo, Larry Gott na guitarra, Saul Davies na guitarra, Mart Huntler nas teclas, Dave Bayton-Power na bateria e Andy Diagram no trompete, apresentaram na Expofacic em Cantanhede, um alinhamento assente em "La Petit Mort", mas ao qual não faltaram os grandes êxitos de um grupo que continua a apresentar-se em palco com o entusiasmo de sempre, com satisfação e prazer, com Tim Booth a mergulhar no público, a chamar o público para o palco, a cativar uma plateia de milhares de pessoas que encheu por completo o recinto.
Um excelente concerto, o que não é de admirar quando falamos dos James.

30 July 2015

Ao vivo... Toumani & Sidiki Diabaté

Data - 25 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Podem afirmar que se torna repetitivo, que é sempre igual, que é mais do mesmo, mas, ouça-se com atenção Toumani e Sidiki Diabaté, pai e filho, descendentes de uma dinastia de giots com 700 anos, ouça-se estes senhores que perante uma plateia, em silêncio, siderada, tocaram de forma aparentemente simples Kora, um dos instrumentos musicais com sonoridade mais pura e cristalina. 
Toumani, simpático, afirmou ainda que tocar Kora era muito simples... e até ensinou, mas a forma como ele e o seu filho tocam, é única.
Brilhante e inesquecível.

29 July 2015

Ao vivo... Moriarty

Data - 25 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Após a passagem pelo Centro de Artes de Sines no ano de 2008, em que apresentaram o seu disco de estreia "Gee Whiz But This Is a Lonesome Town", os Moriarty regressarem este ano para um concerto no palco do castelo, aproveitando a oportunidade para apresentar alguns temas do mais recente trabalho "Epitaph" editado em 2014, o quarto álbum deste grupo formado por músicos franceses com raízes americanas, justificando dessa forma a sonoridade do grupo, que passa pelo folk, country, blues e cabaret, numa interessante mescla musical, mas que não foi suficiente para empolgar o público, que neste dia estava mais interessado nas sonoridades africanas que se seguiriam.

28 July 2015

Ao vivo... Pascals

Data - 25 de Julho de 201
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Os japoneses Pascals foram uma das grandes revelações da edição deste ano do Festival Músicas do Mundo. Excelentes músicos, que proporcionaram um concerto simplesmente extraordinário, utilizando instrumentos tradicionais japoneses, aliados a instrumentos ocidentais e, por incrível que possa parecer, aliados também a brinquedos infantis, proporcionando um concerto muito divertido e teatral, com interpretações de pura diversão, mas também com algumas outras cheias de dramatismo.

Ao vivo... Michael Rother

Data - 27 de Julho de 2015
Local - Galeria Zé Dos Bois
Notas - Num aquário a abarrotar, com um calor difícil de suportar, como se estivéssemos numa sauna grátis, um extremamente simpático Michael Rother, músico alemão criador do Krautrock, deliciou-nos com um extraordinário concerto de quase duas horas, visitando toda a sua carreira.
Fabuloso.
Quem diria que 38 anos depois poderíamos ver Michael Rother tocar Flammend Herzen (1977) ou Sterntaler (1978). Inesquecível.

27 July 2015

Ao vivo... Capicua

Data - 24 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Não sendo grande apreciador da música de Capicua, admito sem qualquer esforço, que o seu concerto foi um dos melhores da edição deste ano do Festival Músicas do Mundo.
Acompanhada por M7 na voz, pelo DJ D-One, por Virtus no mpc e programações e pelo Vitor Ferreira no video, durante uma hora, Ana Matos Fernandes (Capicua), nascida no Porto, levou a Sines um espectáculo repleto de energia, com uma excelente presença em palco.

Ao vivo... Niladri Kumar

Data - 24 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Niladri Kumar, natural de Mumbai, começou a aprender a tocar Sitar com o seu pai Kartick Kumar (aluno de Ravi Shankar), aos 4 anos.
Grande conhecedor da música clássica indiana, Niladri apresentou-se em Sines com dois amigos seus, Niti Ranjan nas Tablas e Aura Rascón na flauta transversal, e durante cerca de uma hora transportou os espectadores para as paisagens sonoras da música indiana e, se fechássemos os olhos, e nos concentrássemos, faríamos uma viagem virtual à Índia, tal o brilhantismo e a precisão de execução por parte dos músicos; a subtileza do dedilhar nas cordas, a sonoridade limpa e perfeita, naquele que foi, também, um concerto perfeito.

Ao vivo... Flat Earth Society

Data - 24 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Os belgas Flat Earth Society formaram-se em 1998, pela mão de Peter Vermeersch, músico polivalente, produtor e arquitecto.
Em formato Big Band, o grupo é constituído por 15 elementos que praticam uma sonoridade que vagueia pela música clássica, pelo jazz de vanguarda e por muito experimentalismo musical, com enormes influência de Frank Zappa, por exemplo.
Graças a esta mescla musical, por um lado deliciamo-nos com a execução dos músicos, mas por outro, o concerto acaba por se tornar repetitivo, como se estivéssemos perante uma Jam Session na qual os músicos se repetem nas suas divagações experimentais, caindo na expectativa "quando é que isto acaba". Não foi mau, mas esteve muito longe de ser um bom concerto.

Ao vivo...Canzoniere Grecanico Salentino

Data - 24 de Julho de 2015
Local - Sines - Festival Músicas do Mundo
Notas - Formados em 1975 pela escritora Rina Durante, os Canzoniere Grecanico Salentino são um grupo histórico da música tradicional italiana, dedicando-se à recriação e divulgação da Pizzica (taranta), uma dança ritual à qual a tradição popular atribui a capacidade da cura a uma mordida da tarântula.
Liderados por Mauro Durante, apresentaram-se em Sines para proporcionar um bom concerto, com bons músicos e bons pormenores de dança com a sensual Silvia Perrone, aproveitando ainda o espectáculo para apresentaram alguns temas do mais recente trabalho discográfico "Quaranta", editado este ano, e que celebra os 40 anos de actividade do grupo.

26 July 2015

Ao vivo... Festival Músicas do Mundo

Data - 25 de Julho de 2015
Local - Sines
Notas - Neste dia actuaram no recinto do castelo os Pascals, Moriaty, Toumani & Sidiki Diabaté, Salif Keita e Orlando Julius, entre outros.
As crónicas aos concertos serão publicadas individualmente, sem sequência pré-estabelecida.

25 July 2015

Ao vivo... Festival Músicas do Mundo 2015

Data - 24 de Julho de 2015
Local - Sines
Notas - Neste dia actuaram no recinto do Castelo os Flat Earth Society, Niladri Kumar, Capicua e os Canzoniere Grecanico Salentino.
As crónicas aos concertos serão publicadas individualmente, sem sequência pré-estabelecida.

12 July 2015

Ao vivo... Festival NOS Alive

Data - Dias 09, 10 e 11 de Julho de 2015
Local - Passeio Marítimo de Algés
Notas - Crónicas publicadas individualmente, por concerto.

08 June 2015

Ao vivo... Thurston Moore

Data - 07 de Junho de 2015
Local - Galeria Zé Dos Bois
Notas - Mais uma vez no aquário da ZDB, mais uma vez lotação completa e mais uma vez uma excelente noite de rock puro, cada vez mais raro nos tempos que correm.
Acompanhado por Steve Shelley na bateria, Debbie Googe no baixo e James Sedwards na guitarra, Thurston Moore encarregou-se da voz e também da sua velhinha guitarra Fender. Muito bom.

03 June 2015

01 June 2015

Ao vivo... Festival Primavera Sound 2015 - Dia 4

Data - 30 de Maio de 2015
Local - Parc Del Fòrum
Notas - Último dia da edição deste ano do Festival Primavera Sound.
Kevin Morby -  Baixista dos Woods e colaborador de Cassie Ramone nos The Babies, Kevin Morby deu início à sua carreira a solo em 2013 com a edição de "Harlem River", e mais recentemente regressou às edições discográficas com "Still Life", trabalho elegante de pop com pormenores de folk e algum psicadelismo. Este músico texano apresentou-se em Barcelona para um concerto folk típico de fim de tarde, início de noite, não deixando no entanto de brindar o público com alguns pormenores mais virados para o rock psicadélico. Um concerto razoável de um músico a seguir com atenção.
Younghusband - Projecto de Euan Hinshelwood que já conta com seis anos de vida percorrendo os caminhos da pop, mas com uma sonoridade muito pessoal resultante da fusão de diversos e variados estilos musicais que vão desde o Shoegaze ao Noise-pop ou ainda ao Krautrock. O concerto do grupo foi relativamente curto sendo a indiferença do público imensa. Talvez tenha sido esse o motivo que levou o grupo a tocar pouco tempo.
DIVV - Concerto morno da banda formada e liderada por Cole Smith, também guitarrista dos Beach Fossils. Fazendo-se acompanhar por Colbt Hewitt dos Smith Westerns, o Cole Smith e os seus DIVV apresentaram alguns temas do disco prestes a editar, e talvez tenha sido pelo facto de as pessoas desconhecerem os temas, que o concerto não empolgou, sendo um dos mais fracos da edição deste ano,
Neleonard - Mais um conjunto de Barcelona numa onde de pop-rock espanhol tradicional. Liderados por Nele Navio, apresentam durante cerca de 50 minutos um desfilar de canções melodiosas, com um pop elegante e agradável, mas pouco mais do que isso, ficando a ideia de ser um conjunto para "consumo interno".
Fucked Up - Excelente e empolgante concerto do grupo liderado pelo carismático Damian Abraham (Pink Eyes). Os canadianos Fucked Up, por onde quer que passem deixam a sua marca de forma indelével em quem teve a oportunidade de assistir ao seu concerto. A titulo de curiosidade, há que referir o facto de o vocalista da banda só abandonar o local do recinto após o mesmo ficar sem público algum, pondo-se à disposição para uma fotografia, um abraço e uns dedos de conversa. Muito bom.
Tori Amos - A norte-americana apresentou-se em palco sozinha com dois pianos e confirmou por completo os seus dotes de pianista clássica que a converteram numa estrela, com muito carisma, no mundo da música, carisma esse que vem aumentando graças à raridade com que se apresenta em palco. A sua música, estruturalmente assente na clássica, vai muito para além disso e podemos deliciar-nos com a fusão desse género com as sonoridades electrónicas e os arranjos orquestrais, e esta conjugação de estilos dá à sua sonoridade um toque ligeiramente conceptual. Um concerto intimista num recinto demasiado grande para o mesmo
Sleaford Mods - Este duo formado pelo vocalista Jason Williamson e o DJ Andrew Fearn, surgiu no ano de 2006 em Nottingham, e estrearam-se nas edições discográficas em 2013 com "Austerity Dogs", a que se seguiu em 2014 "Divide and Exit" e já este ano "Key Markets". Se em disco a música do grupo funciona na perfeição, ao vivo é diferente e, mesmo não desiludindo, há algo que, na minha opinião, se perde. Musicalmente o espectáculo é interessante, apesar de não ter qualquer tipo de improvisação, pois a música está gravada num computador e não existe qualquer instrumento em palco. Se Williamson se mostra irrequieto em palco, já Fearn permanece durante todo o concerto junto ao seu computador, gingando as ancas e pouco mais. O facto de não existir qualquer tipo de improvisação nem instrumentos em palco, acaba por quebrar o entusiasmo, originando alguma monotonia, salva, somente, graças à excelente qualidade musical.
Torres - A lindíssima Torres, nascida na Georgia em 23 de Janeiro de 1991, lançou o seu primeiro disco homónimo em 2013, e já este ano editou "Sprinter", ambos muito bem recebidos pela critica musical. Apresentou-se em Barcelona para um bom concerto, com o seu folk intimista e a sua voz sedutora, que, como é natural, não funciona muito bem em grandes espaços, pois o som perde-se na envolvência humana, ainda por cima quando uma grande parte do público insiste em não se conseguir calar-se durante o tempo todo.
Einsturzende Neubaunten - Banda alemã formada em 1980 e que desde então tem mantido uma carreira regular com mais de duas dezenas de discos editados e com uma considerável legião de fans que mantém uma fidelidade imensa a um grupo que, em palco, nunca desilude, com uma fusão de estilos que percorre quase todas as vertentes musicais desde a estrutura de base clássica ao rock industrial, ao disco... tudo numa mescla musical de enorme qualidade.
Salif Keita e Les Ambassadeurs - A voz de ouro de África com os seus Ambassadeurs. Um dos melhores concertos da edição deste ano, um concerto de World Music pura, bem tocado, bem cantado e muito bem dançado pelo público que encheu, completamente, o recinto.
Babies on Toyland - Banda mítica de Minneapolis, que surgiu em 1987 no auge do Grunge, dissolveu -se em 1997, e regressou aos palcos em 2015. A sua actuação no segundo maior palco do recinto do Primavera Sound Barcelona foi uma desilusão, tornando-se aborrecida, naquele que foi o pior concerto do festival.
Dan Deacon - A expectativa de ver em palco Dan Deacon era enorme, depois de ter falhado a sua actuação durante o ano passado, por opção de palco. Com "Gliss Riffer", o seu mais recente trabalho acabado de editar, Deacon animou o público proporcionando um concerto com um alinhamento em jeito Best Of de toda a sua carreira que já leva mais de uma dezena de anos, tendo ficado de fora, unicamente, os temas mais experimentais.
Thee Oh Sees - E para fechar a edição do Festival Primavera Sound 2015 de Barcelona, pelo menos no que a concertos presenciados diz respeito, e já em jeito de balanço, com o cansaço e a exaustão a tomarem conta das pernas em particular e do corpo em geral, uma pequena passagem pelo concerto desta banda americana de San Francisco, formada em 1997. Como já foi mencionado, o cansaço era muito, e, justamente por isso só foi possível assistir a cerca de 30 minutos de um concerto poderoso de um grupo cuja música percorre os caminhos do Indie Rock com alguma aproximação ao Punk, não na sua vertente clássica característica da altura em que o referido movimento apareceu, mas numa vertente mais pop. Um grupo a seguir com alguma atenção.

30 May 2015

Ao vivo... Festival Primavera Sound 2015 - Dia 3

Data - 29 de Maio de 2015
Local - Parc Del Fòrum
Notas - Terceiro dia de um festival com mais de uma dezena de palcos espalhadas por um recinto enorme, e, como se já não fosse suficiente a árdua tarefa da selecção do que deve ser visto, ainda se tem a difícil missão de andar alguns Kms de palco em palco.
Disappears - Os riffs e o rock experimental dos Disappears encarregaram-se de dar início a mais um dia de festival. Pelas 17 horas, com um sol extremamente quente, não foi fácil a banda de Chicago conseguir empolgar a assistência. Com um som a fazer lembrar os Can ou os Stoges, e num momento em que estão a preparar a edição de um novo trabalho, o grupo limitou-se a tocar alguns dos seus temas mais conhecidos, extraídos dos álbuns "Lux", "Guider" e "Era".
KVB - Do Reino Unido, chegaram os KVB, com o seu punk-rock misturado com electrónica e Shoegaze. Nitidamente influenciados por Joy Division ou Cure, o grupo que recentemente editou o EP "Out Of Body" deu um concerto morno, demonstrando no entanto algum potencial, mas para isso têm que soltar as amarras que os prendem e influenciam, nomeadamente Joy Divison, que apesar de tudo é uma boa influência, mas, como é lógico, é necessário algo novo. Um grupo a seguir.
Chinarro -  Génio e um dos nomes mais importantes da música pop espanhola, António Luque conta já com duas décadas de carreira à frente dos Sr. Chinarro, e para comemorar esse feito, foi lançado recentemente o trabalho "Perspectiva Caballera", disco este que serviu, naturalmente, de base ao bom concerto que deu, tocando as suas baladas e o seu pop corrido, perante um recinto bem composto.
Ex Hex - Após o final dos White Flag, as Sleater-Kinney Janet Weiss e Carrie Brownstein, a vocalista e guitarrista Mary Timony (Helium), surgiram como Ex Hex, projecto novo em que se fazem acompanhar por Betsy Wright (The Fine Tapes) e Laura Harris (The Aquarium), formando o que é vulgarmente designado por uma super-banda. o seu rock forte e ritmado, as canções curtas e simples a fazer lembrar Ramones ou as Runaways, cativaram a assistência, que de forma descontraída saltou, dançou e vibrou.
New Pornographers - Ultimamente vocacionados para as suas carreiras a solo, A. C. Newman, Dan Bejar e Neko Case, decidiram reactivar os New Pornographers em 2014, lançando o trabalho "Bill Bruisers", disco muito bem recebido pela crítica e pelo público em geral, e como consequência dessa boa recepção, impunham-se os concertos e as digressões daquele que é considerado o super-grupo indie por excelência, e demonstraram isso no Primavera Sound, apesar de o concerto ter decorrido ainda com luz do dia e com o público a chegar ao recinto. Se fosse um pouco mais tarde e com uma plateia cheia, teria sido um dos melhores concertos do dia, pois a motivação dos músicos seria diferente.
Tobias Jesso Jr. - O canadiano Tobias Jesso Jr., tocava pela primeira vez perante tanta gente, segundo o próprio afirmou. Sentado ao piano, visivelmente satisfeito, deu um bom concerto, interagindo bem com o público, brincando, cantando e comovendo a assistência.
Perfume Genius - Mike Hadreas (Perfume Genius), com três discos editados, continua a seguir a sua carreira de forma muito equilibrada, exibindo uma sensibilidade fora do comum na forma como escreve e interpreta as suas canções, conseguindo transportar para o público o significado de cada frase que canta, de cada melodia que toca, de cada canção que compõe. As suas melancolias, as suas alegrias, as suas obsessões, as diversas pressões e fases da sua vida, passam para o público, que as sente como se fossem suas, transformando a sua música e a sua actuação com num verdadeiro momento de magia, um momento singular que nos toca e comove; de forma brilhante e comovente. Sidera-nos.
Sleater-Kinney - Dez anos após a edição de "The Woods", este poderoso trio americano, que sacudiu o movimento punk, está de regresso com a edição de "No Cities To Love", um disco duro tal como os anteriormente editados pela banda. Relativamente ao concerto, foi com mas sem grandes improvisos, tornando-se aborrecido. Se fosse uma hora seria perfeito, mais do que isso, torna-se (tornou-se ) aborrecido.
Ride - Pioneiros do Shoegaze à escala mundial, juntamente com os My Bloody Valentine e Slowdive, esta banda inglesa, formada por Andy Bell, Mark Gardener, Laurence 'Loz' Colbert e Steve Queralt, iniciou a sua actividade em 1988, tendo-se separado em 1996, deixando um legado de quatro discos. Em 2001 reuniram-se para procederem à gravação de um programa para o Channel 4, e este ano andam em digressão, aproveitando o renascimento do estilo que os caracterizou, renascimento esse que surgiu graças ao regresso às edições discográficas por parte dos My Bloody Valentine que no ano de 2013 lançaram "MBV".
Alt-J - Muito aclamados pela crítica com o disco de estreia "An Awesome Wave" em 2012, os Alt-J regressaram em 2014 com "This Is All Yours", mais um excelente trabalho. No entanto, se em disco a música deste trio de Leeds liderado por Joe Newman funciona na perfeição criando bons momentos musicais, ao vivo surge o problema que se prende com a dimensão do palco onde o grupo actua. Numa sala pequena, com um palco pequeno, num ambiente mais intimista, acreditamos que um concerto dos Alt-J será mesmo muito bom; agora, quando tocam em palcos de grande dimensão a exigir grandes coreografias e perante cerca de 30 ou 40 mil pessoas, essa magia perde-se e torna-se aborrecido, não sendo de estranhar o facto de a partir de uma determinada altura ser possível ver pessoas a abandonar o recinto. É pena.