30 August 2010

Ao vivo... Festival Alentejo

Data - 30 de Julho de 2010
Local - Zona Industrial de Évora
Notas - Primeiro dia da primeira edição do Festival Alentejo, em Évora. Com um cartaz baseado ma música dos anos 80, creio que a afluência de público terá ficado muito aquém das expectativas da organização. Neste primeiro dia, ao chegar ao recinto à hora do início dos concertos, o aspecto era desolador. Pouco mais de 100 pessoas estavam presentes para receberem os Abba Platinum, grupo que se dedica de uma forma quase "assassina" a tocar temas dos Abba. Demasiado mau para ser verdade e a única coisa que quem não assistiu perdeu, foi o poder comprovar que existem grupos mesmo muito maus, para não dizer péssimos.
Quanto a CJ Ramone, e perante algum público, foi uma agradável surpresa com o ex-Ramones a fazer-se acompanhar por uma banda de bom nível que nos trouxe à memória a música dos Ramones, com o ritmo alucinante que o grupo praticava em palco, com o característico 1, 2, 3, 4, e de seguida arranca um tema com grande ritmo.
Apesar do ambiente ter melhorado um pouco, o público continuava escasso. Talvez pouco mais de duas mil pessoas estavam no recinto para assistir a um bom concerto de Peter Murphy, em jeito Best Of, que percorreu toda a sua carreira, não deixando de lado os clássicos Subway, Cuts You Up ou Strange Kind Of Love, entre tantas outras belas canções que o "Sr. Bauhaus" nos cantou durante quase duas horas de espectáculo.
Este sim, foi um bom concerto, e, quem não pode assistir, não sabe o que perdeu.
Quanto ao festival, propriamente dito, talvez tenha "pernas para andar", pois realiza-se numa bela cidade e o local é de fácil acesso, com muito espaço para estacionamento. Na minha opinião, precisa de mais alguma divulgação e de limar algumas arestas no que diz respeito à organização.

Momentos... Jonas Brothers

Jonas Brothers no Nikon at Jones Beach Theater, em New York

Momentos... Nikon at Jones Beach Theater

Local onde se realizou o concerto dos Jonas Brother, nos Estados Unidos

27 August 2010

Ao vivo... Jonas Brothers

Data - 21 de Agosto de 2010
Local - Nikon At Jones Beach Theater
Notas - Apesar de não ser apreciador do grupo, foi a terceira vez que vi Jonas Brothers ao vivo, para satisfação da minha filha que, desta vez me fez ir até New Yok. Este é aquele concerto que vai ficar na "minha história", não só pelo facto de ter ido a outro continente numa viagem de fim-de-semana, como também devido a um factor de imensa sorte: uma troca de bilhetes que nos "atirou" para a zona VIP do recinto, com direito à possibilidade de assistirmos ao soundcheck do grupo, em que eles aceitavam responder às questões que lhes fossem colocadas por um grupo restrito de cerca de 100 pessoas, composto maioritariamente por adolescentes que jamais irão esquecer esse dia, não só pela simpatia demonstrada pelos músicos, como também por terem tido a oportunidade de estar perto dos seu ídolos.
Musicalmente, a primeira parte foi feita por um misto de actores do filme da Disney, Camp Rock, e com a actuação da Demi Lovato. Num ambiente de alegria, foram recriadas em palco cenas, danças e canções do filme que tem estreia prevista nos Estados Unidos para o início de Setembro.
Finalmente, perto das 21 horas, perante um ambiente misto de histeria e euforia, com gritos ensurdecedores e indescritíveis, entraram em palco os três irmãos, os Jonas Brothers. Durante cerca de hora e meia Joseph Jonas, Kevin Jonas e Nicholas Jonas, levaram ao rubro as cerca de 16000 pessoas que enchiam o excelente recinto de espectáculos, com um som de grande qualidade. A felicidade do público mais novo, estava espelhada nos seus rostos, nos seus olhos, e essa felicidade tão evidente, acabava por passar para os pais que ficavam felizes por ver os seus filhos radiantes, com um brilho nos olhos extremamente bonito.
Mesmo sem ser apreciador da música do grupo, reconheço que este foi um dos concertos que ficará, para sempre, na minha memória.
Os Jonas Brothers são, acima de tudo, um grupo que sabe respeitar a imensa legião de fans, sem caírem na tentação do fácil agrado com discursos infantis. Tratam o público adolescente de uma forma adulta.

Momentos... Jonas Brothers

Jonas Brothers no Nikon at Jones Beach Theater, em New York

25 August 2010

Ao vivo... Tony Allen

Data - 06 de Março de 2010
Local - Casa da Música
Notas - Apesar de pequena, a sala 2 da excelente Casa da Música, foi demasiado grande para receber um dos melhores bateristas do mundo. A pouca promoção ao evento, aliada à pouca divulgação da sua música em Portugal, fez com que a sala não estivesse cheia, apesar de estar bem composta por um público conhecedor da obra de Tony Allen e das suas qualidades como baterista, actividade que começou na banda do lendário Fela Kuti, músico nigeriano considerado por muitos como o melhor músico africano de todos os tempos. Tony Allen - nascido no dia 12 de Agosto de 1940 em Lagos na Nigéria - era também director musical (não oficial) de Kuti e um dos maiores divulgadores do Afro-Beat pelo mundo.
Quanto ao concerto, foi de grande qualidade e era impressionante ver a cara do público, completamente deliciado com a actuação de Allen, um público devoto, do qual faziam parte muitos jovens que andam a aprender a tocar bateria e não quiseram desperdiçar a oportunidade de ver ao vivo, num ambiente quase intimista e acolhedor um dos melhores bateristas de sempre. Tony Allen fez-se acompanhar por um excelente grupo de músicos, permanentemente em festa em cima do palco, uma característica que só a música africana e os músicos de raízes africanas conseguem transmitir, pelo menos daquela maneira.
Tony Allen demonstrou como é fácil tocar bateria, não sendo preciso aquele espalhafato e aparato com que somos brindados, quase de forma despropositada, em muitos concertos a que assistimos

Momentos... Snow Patrol

Snow Patrol no Rock in Rio 2010

Momentos... Miley Cyrus

Miley Cyrus no Rock in Rio 2010

20 August 2010

Momentos... Rammstein

Rammstein no Rock In Rio 2010

Momentos... Motorhead no Rock In Rio 2010

Motorhead no Rock In Rio 2010

Ao vivo... Rock In Rio

Data - 30 de Maio de 2010
Local - Parque da Bela Vista
Notas - O dia "mais pesado" da edição deste ano do Rock In Rio. Um cartaz equilibrado e coerente, mas que pecava pela ausência de um grande nome que atraísse muito público. O recinto não encheu e, devido aos grupos intervenientes, merecia um pouco mais de espectadores, apesar de ser expectável o contrário. O chamado grande nome deste dia eram os Rammstein, que no entanto tinham passado pelo Pavilhão Atlântico no dia 08 de Novembro de 2009, concerto esse que ficou aquém das expectativas no que ao público dizia respeito.
Quanto ao Rock ln Rio deste dia, destaco os Motorhead, liderados pelo carismático Lemmy Kilminster. Apesar de actuarem durante o dia e com as limitações de horários conseguiram dar um concerto bastante enérgico e muito bom, não se deixando "abalar" pela ausência de público, que mais uma vez andava à caça de presentes.
Do concerto dos Soulfly, primeiro grupo a subir ao palco do Parque da Bela Vista, seguramente não irá rezar a história.
Já os Megadeath, foram uma desilusão com um Dave Mustaine nitidamente "em baixo de forma", com falhas de voz constantes ao longo de toda a actuação.
Relativamente aos Rammstein, deram um concerto ao seu nível com muita pirotecnia e com um som de grande qualidade e extremamente cuidado. Os concerto do grupo valem muito pelo seu cariz teatral.

18 August 2010

Momentos... National

National no Super Bock Super Rock 2010

Momentos... Miley Cyrus

Miley Cyrus no Rock in Rio 2010

Ao vivo... Festival Super Bock Super Rock


Data - Dias 16, 17 e 18 de Julho de 2010
Local - Meco
Notas - O festival mais mutante de Portugal este ano foi até ao Meco. Se em termos comerciais parece ter resultado, no que diz respeito às condições do recinto e da zona para receber cerca de 20000 pessoas por dia, foi um autêntico desastre. O muito pó dentro do recinto, tornava o ar praticamente irrespirável; as estradas de acesso ao recinto tinham filas de quatro horas de trânsito (muita gente a desistir e voltar para trás); o parque de estacionamento era ridículo, sem qualquer iluminação e de onde era extremamente difícil sair. Em termos, digamos logísticos e de mobilidade, foi talvez o pior festival de sempre em Portugal.
Quanto à vertente musical, o festival esteve sempre em bom nível, com um cartaz bem elaborado e recheado de grandes nomes, em ambos os palcos.
Pelo palco secundário passaram, entre outros os excelentes Beach House e Grizzly Bear.
No que ao palco principal diz respeito, destaco os magníficos concertos dos National e de Prince. Enquanto Prince confirmou ser, na minha opinião um dos melhores guitarristas da actualidade, os National deram aquele que para mim foi o melhor concerto da edição deste ano do Super Bock Super Rock.
Quanto aos Pet Shop Boys, demonstraram ser extremamente profissionais, com uma "máquina" bem oleada, onde não existe qualquer falha: a experiência do grupo nota-se, e é notável.
Já os Keane ficaram um pouco abaixo do esperado, fruto de uma música que se repete e acaba por tornar-se maçadora, apesar do esforço por parte de Tom Chaplin, talvez ciente das fragilidades da música do grupo que lidera de forma incontestável.
Finalmente, quanto aos Spoon e Cut Copy, não acrescentaram nada de novo.
Infelizmente não estive presente no dia dos Vampire Weekend, Hot Chip e Julian Casablancas, entre outros.
Para o fim, propositadamente, deixei o concerto do grupo liderado por Jorge Palma: Palma's Gang. Composto por elementos dos Xutos e Pontapés e dos Radio Macau, este grupo merecia ser liderado por alguém com mais sentido de responsabilidade e que respeitasse o público que de uma forma quase cega o aplaude. Um Jorge Palma alcoolizado, numa actuação desastrosa. Tenho pena que aquele que eu considero um dos melhores músicos portugueses dos últimos anos não consiga, pelo menos aparentemente, superar a dependência do álcool. É pena pois ele é muito bom no que faz.
Acrescento que sou um grande admirador do Jorge Palma, desde o final dos anos 70, mas deixei de assistir a concertos dele (em nome próprio, não festivais), justamente por essa razão.

16 August 2010

Momentos.. Skunk Anansie

Skunk Anansie no Optimus Alive 2010

Momentos... Manic Street Preachers

Manic Street Preachers no Optimus Alive 2010

Ao Vivo... Optimus Alive

Data - 09 de Julho de 2010
Local - Passeio Marítimo de Algés
Notas - O principal motivo que me levou à edição deste ano do Optimus Alive foi poder assistir ao concerto dos Manic Street Preachers, grupo de que sou grande admirador e que raramente dá concertos ao vivo, pelo menos em Portugal. Tinha tido a oportunidade de assistir a um concerto deles no Coliseu dos Recreios no já longínquo dia 02 de Novembro de 1998. Desde então esperava ansiosamente por uma nova oportunidade, uma nova data para ver Manic Street Preachers; quase doze anos depois, finalmente chegava esse dia, com o senão de ser num festival e não em nome próprio. Fui um bom concerto em jeito Best Of, no qual o grupo percorreu de forma profissional e excelente, toda a sua carreira. No fim, ficou a promessa de regressarem, e esperamos que seja nos Coliseus. A não perder.
Quando ao resto do dia, no chamado palco secundário foi possível assistirmos a um bom concerto dos Maccabees, que apesar de actuarem perante pouco publico, conseguiram alhear-se disso, enquanto que os Holy Ghost, estiveram muito aquém do esperado.
Voltando ao chamado palco principal, por lá passaram ainda os Skunk Anansie que deram um excelente e poderoso concerto, com uma Skin completamente endiabrada, de uma energia contagiante; quanto aos Jet, foi um concerto que não deixa grandes lembranças; quanto aos Mão Morta, foi pena a falta de conhecimento e desinteresse demonstrado por algum público presente e ficou a ideia que os Mão Morta, actualmente, funcionam melhor em espaços tipo Coliseu dos Recreios, mas também ficou a ideia que a música do grupo não chega ao público mais novo e, os grandes fans do grupo actualmente, são os mesmos que o eram outrora.

13 August 2010

Momentos... Miley Cyrus

Miley Cyrus no Rock in Rio 2010

Momentos... Amy MacDonald

Amy MacDonald no Rock in Rio 2010

Ao vivo... Rock In Rio

Data - 29 de Maio de 2010
Local - Parque da Bela Vista
Notas - Este era o dia dedicado à família. Um alinhamento cuidadosamente elaborado para o público mais jovem, até nos horários. A "sessão" começou mais cedo para não acabar tarde, pois a maior parte do público esperado rondaria os 15-17 anos. Do que ficou deste dia, foi a actuação forte e segura dos Dzrt, grupo que não aprecia mas onde se nota uma evolução em termos musicais e ao vivo. Quanto aos Mc Fly, não gostei da actuação do grupo, nem musicalmente nem do seu pseudo sentido de humor. Amy Mac Donald deu um espectáculo somente agradável, não ficando qualquer pormenor na memória, excepto a constante troca de guitarras entre todas (mesmo todas) as músicas.
Quanto à rainha da noite, Miley Cyrus, foi, na minha opinião (não sou fan), apenas uma princesa. Um princesa bonita, mas que musicalmente esteve um pouco aquém do esperado, pelo menos de quem não é grande apreciador. Pareceu-me uma actuação de certo modo fraca, mas os milhares de fans que encheram o Parque da Bela Vista, naquela que foi a maior enchente do RiR deste ano, esses milhares de fans adoraram e saíram do concerto com um sorriso de felicidade estampado nos olhos. Para esses jovens que lá estavam, será seguramente um dia memorável.

11 August 2010

Ao vivo... Rock In Rio

Data - Dia 27 de Maio de 2010
Local - Parque da Bela Vista
Notas - Na edição deste ano do Rock In Rio, este era o dia em que se esperava mais público, muito por causa dos Muse. O dia, num misto de feira com festival de música, começou com a actuação dos portugueses Fonzie. Pouco público junto ao palco pois a principal preocupação de uma grande maioria das pessoas que assiste ao Rock in Rio, é andar à procura dos imensos presentes que são oferecidos pelos patrocinadores, desde os preservativos, a sofás insufláveis em que estavam cerca de três horas nas filas para os poderem receber.
É triste mas é a realidade do Rock in Rio.
Quanto à música, que é o que interessa, a actuação dos Fonzie foi fraca e com pouco público; seguiram-se os Xutos e Pontapés que conseguiram arredar muita gente da caça ao brinde e, como era expectável, deram um bom concerto. Já os Snow Patrol, tiveram uma actuação esforçada e agradável, mas sem deslumbrarem. Simpáticos e comunicativos mas... pouco mais. Não desiludiram mas também não deslumbraram, deslumbre esse que era esperado com os Muse.
A banda liderada por Matthew Bellamy praticamente esgotou o Parque da Bela Vista, num concerto que soube a pouco, em que o grupo percorreu toda a sua carreira, tocando todos os grandes êxitos. Quando refiro que soube a pouco, é porque penso que podiam improvisar um pouco mais musicalmente, pois são excelentes executantes. Matthew Bellamy, cada vez se aproxima mais de ser um dos melhores guitarristas da actualidade e como tal , podia e devia, aproveitar esse dom para, aí sim, nos deslumbrar. Continua a não o fazer.
Talvez em Wembley, onde vou estar em Setembro, o faça.